English Version
(11) 41078997 / (11) 98558-8579

Dr. José Carlos Garcia Jr.

Especialista em cirurgia de ombro, cotovelo e artroscopia

Home / Lesões / Ombro / Síndrome do Impacto do Ombro, popular Bursite.

Síndrome do Impacto do Ombro, popular Bursite.

A síndrome do impacto é uma das mais comuns causas de dor no ombro tanto do atleta como do sedentário. Sua origem é o impacto do acrômio no aparelho burso-tendíneo do ombro, ou seja, o ombro tem internamente a parte óssea representada pela cabeça umeral, os tendões do manguito rotador que cobrem o úmero ( tendões dos músculos supra-espinhal, infra-espinhal, subescapular e redondo menor ) e cobrindo esses tendões está a bursa ( que tem a função de minimizar o atrito dos tendões do manguito com o acrômio).
Os músculos do manguito rotador tem a função de fazer um ponto de apoio na cabeça umeral para contrapor a força que o músculo deltóide faz puxando a cabeça umeral em direção ao acrômio (expansão óssea da escápula, antiga omoplata), há então a rotação da cabeça do úmero abaixo do acrômio sem o impacto dessas duas estruturas.
O desbalanço muscular, a diminuição do espaço dentro do ombro devido a inclinações "anormais" do acrômio, a artrose do ligamento córaco-acromial, a lesão do manguito rotador ou um trauma e inflamação do ombro são as causas da síndrome do impacto.
A dor no ombro à elevação passiva ou ativa é a manifestação mais comum, geralmente a dor piora quando o paciente deita pois o efeito da gravidade que traciona a cabeça umeral na direção oposta do acrômio pára de ocorrer.
Os exames de ultrassonografia e ressonância magnética mostram na maior parte das vezes tendinose ou tendinite dos músculos do manguito rotador (supra-espinhal, infra-espinhal, subescapular e redondo menor) ou bursite subacromial ou subdeltoídea.
O tratamento depende da origem da dor, mas em linhas gerais deve-se tentar os antiinflamatórios não hormonais e a fisioterapia, na falha pode-se tentar a infiltração e em sua falha orientamos o tratamento cirúrgico por artroscopia. A infiltração deve ser realizada no máximo 2 a 3 vezes pois os tendões podem ser alterados com grandes quantidades de corticóide local.
Se tratada logo no início a dor no ombro devido à síndrome do impacto regride sem necessidade de cirurgia na maioria dos casos, portanto procure apoio medico e de reabilitadores aos primeiros sinais de impacto do ombro.
Para a prevenção insira exercícios para o fortalecimento dos músculos do manguito, peitoral e grande dorsal em suas séries com orientação de profissionais capacitados.


Dr. José Carlos Garcia Jr. 
Ortopedista especialista em Ombro e Cotovelo do corpo clínico do Hospital Sírio-Libanês e referência em ombro e cotovelo do Hospital Moriah em São Paulo-Capital.
Médico graduado e pós-graduado pela Escola Paulista de Medicina(Federal de São Paulo).
Fellow na Mayo Clinic-Minnesotta-EUA,  Princeton-EUA e IFOR e IRCAD da Universidade de Estrasburgo-França.
Mestre em Ciências da Saúde(MSc)  pela Universidade de Liverpool-Inglaterra
Doutor em Ciências(PhD) com tese sobre aceleração da cicatrização tendínea pela USP.
Professor Coordenador do centro de estudos NÆON, serviço referendado de formação de especialistas das Sociedades Brasileira de Cirurgia de Ombro e Cotovelo e Internacional de Traumatologia do Esporte.

Atende no Núcleo de Medicina Avançada do Hospital Sírio-Libanês e no Hospital Moriah em São Paulo-Capital. Telefones de marcação: 11-41078997 e 11-985588579
Voltar