English Version
(11) 41078997 / (11) 98558-8579

Dr. José Carlos Garcia Jr.

Especialista em cirurgia de ombro, cotovelo e artroscopia

Home / Lesões / Traumatologia Desportiva / Instabilidade do Punho ou Cárpica

Instabilidade do Punho ou Cárpica

Instabilidade do Punho

Alguns lutadores apresentam dor crônica no punho relacionadas com um episódio de hiperextensão do punho. O movimento de hiperextensão pode ocorrer na queda com a mão espalmada ou no golpe chamado ?mão de vaca invertida?. Esse golpe pode ocorrer quando um lutador segura o kimono e o adversário segura o antebraço desse atleta e força o punho em hiperextensão contra seu corpo.

Com esse movimento podem ocorrer desde fraturas do escafóide até instabilidades cárpicas. No caso das instabilidades cárpicas, mesmo nas mais grosseiras, o diagnóstico pode ser complicado, principalmente se o ortopedista não está atento para esse tipo de lesão. Os sintomas são dor e até um click na região da tabaqueira anatômica ao movimento, a perda de força de apreensão pode ser outro sintoma.

O exame físico, radiografias e até o exame de ressonância magnética pode ser necessário. Na instabilidade sintomática crônica e na luxação irredutível a reconstrução ligamentar e a fixação não permanente com fios de Kirschner podem ajudar a melhora dos sintomas. Em casos agudos de dor após o trauma em hiperextensão do punho oriento a procura a princípio de um pronto-socorro, radiografias nas posições frente e perfil absoluto, uso de tala em flexão leve e uso de um antiinflamatório de costume do paciente.

Se for diagnosticada a instabilidade cárpica com necessidade de redução e essa for efetiva o paciente deverá utilizar tala gessada por cerca de 12 semanas iniciando após isso a reabilitação, nesse caso não é necessária cirurgia. Os melhores resultados ocorrem com o diagnóstico preciso em até 2 semanas da lesão. O retorno semanal nas 4 primeiras semanas é importante para a reavaliação do paciente, após isso pode ocorrer o retorno de 2 em 2 semanas.
Voltar